Skip to main content
Mercado Volta A Criar Empregos

Empregos Devem Voltar a Ser Criados Neste Ano Segundo FGV – Carreira

Mercado Dá Sinais de Recuperação E Empresas Já Programam Criação De Novos Empregos

 

 Empregos: "Vai aumentar o nível de empregos. O mercado de trabalho vai melhorar um pouco, mas a recuperação mais forte será só no próximo ano" (Paulo Fridman/Bloomberg)

 

O mercado de trabalho deverá melhorar a geração de empregos este ano, apesar de que antes de identificarmos estas expectativas ainda dependemos da recuperação da economia, segundo o economista Fernando de Holanda Barbosa Filho, do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

 

O indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) avançou 0,3 ponto em fevereiro ante janeiro, para o nível de 95,9 pontos. Este foi o nível mais alto desde maio de 2010.

 

Quando há tendência de crescimento é consequência haver criação de empregos. Já o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) recuou 1,9 ponto do ano passado, de janeiro a fevereiro foi de 100,7 pontos.

 

Quando o índice cai significa uma melhora na avaliação dos consumidores sobre o mercado de trabalho.

 

"Os agentes planejam contratar nos próximos meses. A pergunta é quando isso vai acontecer. Entende-se que dependa da situação da economia em geral. Se houver sinais de melhora, haverá contratações", disse Barbosa Filho.

 

A Situação Atual

 

A situação atual ainda é extremamente desconfortável. "O ICD ainda está em um nível muito alto", disse ele. Ele apontou ainda que o indicador que acompanha a avaliação dos consumidores sobre a situação de emprego.

 

Os componentes que contribuíram para a alta do IAEmp de fevereiro foram indicadores de desempenho. Eles medem as expectativas da situação dos negócios nos próximos seis meses. Baseiam-se na Sondagem com a Indústria e na velocidade no aumento dos quadros nos próximos três meses da Sondagem de Serviços.

 

O conjunto que mais influenciou a queda do IBC foi o de consumidores que recebem de R$ 4.800,00 a R$ 9600,00. No caso deles houve diminuição em 3,3 pontos do indicador da percepção da dificuldade de conseguir um emprego.

 

Barbosa Filho acredita que a taxa de desemprego deve atingir pico entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano. Em seguida deve começar a cair lentamente com a criação de postos de trabalho.

 

"Vai aumentar o emprego, o mercado de trabalho vai melhorar um pouco. Mas a recuperação só será mais forte no ano que vem", o economista pensa.

 

Como São Construídos Os Índices Que Avaliam Expectativas de Criação De Empregos

 

O ICD é construído com base em dados de Pesquisa de Consumidores. Ela tende a cobrir a impressão dos consumidores quanto à dificuldade do mercado de trabalho em relação a emprego.

 

Já o IAEmp consiste em uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas identificadas pela FGV. O objetivo é antecipar o sentido do mercado de trabalho no País.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *