Skip to main content
mercado de games sp

Mercado de Games Sp – O Guia Definitivo

Mercado de games sp | Há 25 anos atrás - quando eu ainda era um garoto - era comum passar pela seguinte situação:
Minha querida mãezinha insistindo para que eu fosse dormir pois já estava tarde e tinha de acordar cedo no dia seguinte.
 
Eu, viciado que era, nem queria escutar...
 
...ficava horas e horas sentado em frente à televisão jogando um jurássico videogame Atari com jogos pixelizados. Era ótimo desligar-me do mundo e das obrigações (que na época resumiam-se a lições de casa... :p) e jogar!
 

Meu pai já não era tão sutil...rs

Ele dizia para que deixasse de vadiagem, que aquilo me deixaria "burro" e não levaria a nada!
 
 A cena parece familiar? Para muitos jovens (e outros nem tão jovens) ela é comum.
 
mercado de games sp - vício
Era uma tarefa difícil me tirar da frente da TV...
Só que o mercado de games sp cresceu e apareceu! Hoje se minha filha disser que vai seguir carreira no ramo de jogos eletrônicos tem meu total apoio.
 
Leia o artigo até o final e terá argumentos para convencer qualquer um (inclusive seus pais) sobre a sua decisão.
 

Mercado de games sp - Mundo

 
O mercado de games sp cresce exponencialmente e já se tornou um fenômeno mundial. Para ter uma ideia em 2007 o faturamento desta indústria ultrapassou o da indústria cinematográfica.
 
Em 2010 a distância aumentou, faturando US$ 57 Bilhões contra US$ 31,8 Bilhões do setor cinematográfico. Em 2011 chegou a US$ 74 Bilhões, alcançando a impressionante marca de US$ 99,6 Bilhões em 2016. E espera-se que, em 2017, chegue a quase US$ 110 Bilhões de faturamento.
 
Lembra quando o sonho de todo jovem era tornar-se rico e famoso como um ator de Hollywood ou um astro do futebol?
 

Hoje a história é outra...

 
Não é à toa que muitos atores famosos de Hollywood, identificando esta tendência, passaram a investir pesado no setor de jogos eletrônicos. Muitos já emprestam a voz ou a imagem a personagens de games, participando da produção deles e até fazendo a captura de movimentos.
 
Outro sonho de garoto era ser jogador de futebol, conquistando fama e fortuna e fazendo o que gosta. Pois é, pequeno gafanhoto, até craques do esporte como Neymar e Ronaldo Fenômeno estão investindo pequenas fortunas nos chamados e-sports. Ronaldo no Poker Online e Neymar no famoso League of Legends (lol).
 
League of Legends - mercado de games sp
Até o Neymar quer embarcar no mercado de games sp - League of Legends

E como está o Mercado de Games sp no Brasil?

 
No Brasil temos hoje mais de 3,4 milhões de gamers. Já somos o quarto maior mercado em número de jogadores no mundo, perdendo apenas para EUA, Japão e China.
 
Na América Latina estamos no TOP 1 em faturamento, depois de ter passado recentemente o México. O faturamento do setor em 2016 foi de US$ 1,5 Bilhão no Brasil contra US$ 4,5 bilhões em toda América Latina. Isto representa 1/3 de todo o faturamento do continente. E estima-se que em 2017 seja ainda maior. Espera-se que o montante chega a 1,6 Bilhões de Dólares. Os jogos mobile ainda representam o maior faturamento neste mercado, correspondendo a US$ 600 milhões.
 

Isso mesmo com dois fatores limitantes:

 
1) O setor de games ainda é pouco desenvolvido no Brasil e;
2) O país passa pela maior crise econômica de nossa história. Mesmo assim - na contramão da crise - o mercado de games vai crescendo a braçadas mas falta mão de obra qualificada.
mercado de games sp - Brasil

 

Apesar de tudo o setor tem se profissionalizado. Hoje temos a ACIGAMES (Associação Comercial, Industrial e Cultural dos Jogos Eletrônicos no Brasil)  e a ABRAGAMES (Associação Brasileira de Games). A segunda representa mais de 150 empresas de games do país e foi responsável por levar mais de 100 profissionais para a Game Developers Conference 2017 - Conferência Internacional onde onde foi discutido o presente e o futuro do mercado de desenvolvimento de games mundial.

 

Incentivo do governo

 

Outra notícia importante é que a ANCINE (Agência Nacional do Cinema) estuda fazer alterações nos Impostos sobre Games. O objetivo é diminuir taxas e direcionar os tributos para o mercado de jogos brasileiro. Além disso lançou o programa "Brasil de Todas as Telas", que investirá R$ 10 milhões em 24 projetos de jogos eletrônicos escolhidos e feitos aqui no Brasil.

 

Perfil do consumidor de games no Brasil

  
Você pensa que os adolescentes representam a maioria de consumidores do mercado de games sp?
 
Reveja seus conceitos depois de conhecer a Pesquisa Game Brasil realizada pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) em parceria com a desenvolvedora de jogos Sioux e com a Blend New Research.
 

Tipos de Jogos

 
Segundo ela 74,7% das pessoas preferem jogos eletrônicos a outras modalidades, como jogos de tabuleiro (34,1%) e jogos de quadra (32,4%). O público masculino já não é mais maioria (47,4%), o público feminino vem crescendo nos últimos anos e as mulheres já são responsáveis por 52,6% deste mercado.
 
A preferência nacional é pelos jogos de estratégia. Eles englobam 54,7% da preferência, seguidos dos jogos de aventura (com 49%), ficando em terceiro lugar os de corrida (com 43,9 %).
 

Homens x Mulheres

 
Entre as mulheres os jogos preferidos são os de estratégia - eleitos por 55,3% - na sequência vêm os de  aventura, com 47,2%. Já entre os homens os preferidos são os de ação (para 55%) e em segundo lugar os de corrida (para 54,8%).
 
Esta pesquisa foi realizada com 2.848 pessoas de todo o Brasil, com idades entre 14 e 84 anos. Quanto a classe social: 5% eram da Classe A, 32,5% da Classe B e 43% da classe C.
 
mercado de games sp - perfil Brasil
Conheça o perfil do consumidor de jogos eletrônicos no Brasil.

Tipos de Jogadores

A pesquisa também identificou que existem dois tipos de jogadores:
 
1) O casual: é aquele que joga algumas horas por semana sem grande compromisso e normalmente prefere os jogos fáceis.
2) O jogador hardcore: é o que experimenta todos os lançamentos sempre com uma visão mais analítica. Geralmente enquadram-se nesse perfil homens de 18 a 35 anos.
 
Quanto à plataforma usada, 17% dos usuários no celular passam entre 14 e 20 horas semanais conectados jogando, e 15% deles passa mais de 20 horas semanais. A plataforma mais usada para jogar são os smartphones e a segunda na preferência é o computador. O brasileiro gasta em média 2:40 por dia com games.
 
  • 71% jogam na própria residência
  • 52% na sala de espera e
  • 53% no trajeto para casa

 

Oportunidades de negócio no mercado de games sp

 
O marketing evoluiu, mudou e já não é mais possível abordá-lo como a 10, 20 ou 30 anos atrás. Games são um canal e uma oportunidade para as marcas poderem se comunicar com seus consumidores.
 
Elas podem fazer isto através de games próprios que buscam engajar estes consumidores com a sua marca e seus conceitos. Podem, também, utilizar espaços dentro dos jogos através de Patrocínio, como por exemplo o uso da logo no fundo, utilização de elementos da marca, cores, jingle e até nos personagens.
 
Outra maneira de usar este canal é inserindo suas marcas nos cenários, utilizando um mix do marketing tradicional - banners, faixas, outdoors... Um exemplo desta aplicação são jogos de F1 ou de Futebol onde as marcas colocam seus logotipos ou propagandas em banners no próprio cenário do jogo.
 

A empresa precisa entender o perfil do seu mercado

 

Só que é importante que as empresas de desenvolvimento entendam o perfil dos seus usuários. Assim elas podem escolher qual o modelo ideal de monetização dos seus produtos.
 

Por exemplo:

  • 83% dos portadores de smartphone baixam aplicativos de jogos (geralmente "Social Games");
  • Dos que baixam jogos 81% só baixa jogos gratuitos;
  • Dos que só baixam jogos gratuitos 56% baixa toda semana;
  • Dos que aceitaram pagar pelos jogos eletrônicos 86% disseram que estavam satisfeitos com a compra que fizeram.

 

Entre os que pagaram pelo jogo:

  • 98% pagaram até R$ 5,00;
  • 60% pagaram até R$ 10,00;
  • 35% pagaram até R$ 20,00;
  • 15% pagaram até R$ 30,00 e somente
  • 7% pagaram mais de R$ 30,00.
  • 27% acharam que foi barato;
  • 35% achar o preço justo e;
  • 26% acharam caro.
  • 84% disseram que voltariam a pagar pelos jogos e
  • 16% disseram que não - destes 37% não tem mais interesse em gastar com este tipo de produto.
Dos 81% que somente baixa jogos gratuitos, 77% deles aceitaria baixar um jogo com anúncios, embora destes 62% acham que a propaganda atrapalha o divertimento
 
Usuários de jogos mobile
Quase 20% dos usuários que baixam jogos em seus smartphones aceitam pagar por eles

Perfil das empresas de games no Brasil

A maioria das empresas no mercado de games sp no Brasil são Micro e Pequenas Empresas. Elas representam 74% das empresas do setor, sendo que a maioria foi fundada a partir de 2009 e tem um faturamento médio de R$ 240 mil por ano.
 
21,6% das empresas desse setor faturam até R$ 2,4 milhões e apenas 4% delas faturam entre R$ 2,4 milhões e  R$ 16 milhões.
 
A maior parte delas está localizadas nas regiões Sul e Sudeste do país, sendo que São Paulo é líder no número de empresas neste setor.

Principais eventos do mercado de games sp

Como você deve ter percebido este mercado tem números impressionantes. Eles estimulam a criação de diversos eventos para troca de experiências entre profissionais e empresas.
Eventos como exposições de novas tecnologias ou até mesmo para divulgação das criações de cada produtora.
 

BIG FESTIVAL

 
Um destes eventos é a "BIG FESTIVAL", organizada pela ABRAGAMES.
Ela é uma das maiores exibições de jogos Independentes do país.
 

CAMPUS PARTY

 
Além disso temos a já consagrada "CAMPUS PARTY", que acontece anualmente em São Paulo e já está em sua décima edição. Seu objetivo é incentivar empreendimentos digitais, abordando temas como games, redes sociais, Startup e desenvolvimento.
 

BRASIL GAME SHOW

 
Há também a "BRASIL GAME SHOW", também em São Paulo, que é uma das principais feiras de jogos da América Latina. São mais de 180 expositores e representa uma oportunidade para desenvolvedores, produtoras e distribuidoras lançarem novos títulos e produtos no segmento.
 

GBIZ (Games Business)

 
E, por último, acontecendo no dia 22 de junho de 2017 no MIS (Museu da Imagem e Som - também em São Paulo), teremos a GBIZ (Games Business). Este evento é focado em negócios voltados ao mercado de jogos e esportes eletrônicos. O objetivo dele é mostrar como o mercado já está consolidado, quais são as perspectivas, aspectos do público e como as marcas podem aproveitar desse mercado para interagir com seu público.
mercado de games sp - Campus Party
Campus Party - Evento que acontece em São Paulo e já está na 7ª edição no Brasil.

Carreira no ramo de games

Quando se fala em seguir carreira no mercado de games sp logo vem à mente trabalhar com design de games, certo? Só que esta é apenas a pontinha do iceberg!
 
O mercado de trabalho para profissionais neste ramo é muito mais diversificado do que você imagina, existem diversas formas e oportunidades para quem se anima a entrar neste universo.
 
Logicamente o cargo mais conhecido é o de design de games. Então é por ele mesmo que iremos começar.
 

O que faz um designer de games?

 
O designer de games desenvolve e projeta jogos eletrônicos, além de participar desde a criação das regras do jogo até os testes finais. É responsável, também, pela criação e animação dos personagens, do roteiro e da animação das telas e cenários.
 
Grande parte trabalha dos profissionais que atuam nesta função estão no ramo de entretenimento, criando jogos para: computador, consoles, redes sociais, celulares (mobile) e outros.
 
designer de games
Quem não gostaria de estar por trás do design e da produção de jogos conhecidos no mercado de games sp?

Perfil do profissional no mercado de games sp

Para ser um destes profissionais é preciso, primeiro de tudo, gostar muito de tecnologias e ter afinidade com linguagens de programação. Outra questão importante é saber trabalhar bem em equipe e ter ótima comunicação.
 

Por que?

 
Neste momento você pode me perguntar: "- Por que preciso saber trabalhar em equipe se o trabalho é feito pelo computador?" 
 
E eu te respondo: - Porque criar jogos não é uma atividade que se pratica sozinho! Ela envolve equipes multidisciplinares. Uma parte dela é responsável pelos personagens (criação, animação...), outra cuida dos cenários, outra da trilha sonora e assim por diante.
 

Trabalho em equipe: Habilidade Fundamental

 
Portanto você precisa saber explicar de maneira clara, objetiva e correta o que está realizando para os outros membros da equipe. Isto é fundamental para que o trabalho flua de maneira produtiva.
 
Além disto você deve estar sempre atualizado sobre as tendências e mudanças na área tecnológica e ter conhecimentos em inglês, porque praticamente todos os programas e linguagens de programação estão nesse idioma.
 
trabalho em equipe
Saber trabalhar em equipe é uma habilidade importante para quem quer entrar no mercado de games sp

Outros setores onde você pode trabalhar

Além da função de designer há muitas outras oportunidades. Você pode trabalhar com jogos educacionais, que são jogos de cunho institucional normalmente são usados em escolas, plataformas de ensino ou feitos com incentivos do governo para educar um determinado público sobre um certo tema. Por exemplo, temos o"Leis Para Todos"da empresa Supernova.

 

Leis para todos
Leis para todos - Supernova

As oportunidades são amplas e numerosas

Você também pode trabalhar com simulações médicas, na operação de equipamentos complexos.
 
Outra oportunidade são os jogos empresariais. Empresas têm usado jogos digitais para se reinventar ou mobilizar seus públicos alvo. Por eles é possível engajar e treinar funcionários, conquistar clientes usando técnicas e métodos de games para desenvolvimento de outras atividades.
 

E não para por aí...

 
Aplica-se neles elementos de jogos como ranking pontuação e recompensas.
Além disso ele pode trabalhar como programador, artista 2D, modelador 3D, profissional de marketing, administrador de empresas, gerente de projetos, contador ou áreas afins, roteirista, produtor, designer de áudio, compositor de trilhas sonoras, tradutor, dublador e muito mais...
Ou seja não faltam oportunidades para quem quer seguir essa carreira!

 

Seja um "e-sportista"!

 
Existem também os e-sportistas, que muitas vezes recebem salários de até R$ 10.000,00 apenas para se dedicar aos treinos e participar de campeonatos de games. Eles são patrocinados por empresas como a Kabum, que criou a sua própria equipe de "League of Legends"e acabou conquistando o Campeonato Brasileiro, representando posteriormente o Brasil no Campeonato Mundial.
A profissionalização do setor e a diversidade de carreiras e oportunidades faz com que muitos jovens talentos abram mão de carreiras tradicionais como engenharia ou medicina para se dedicar exclusivamente aos treinos, vivendo de lazer, vivendo de jogar.
 
Final do Campeonato Brasileiro de League of Legends
Final do Campeonato Brasileiro de League of Legends (Por Milton Jung - Flickr: https://www.flickr.com/photos/cbnsp/14699430465/sizes/o/in/photostream/, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=34133354)

Qual é a idade esperada de um profissional neste Ramo?

 
Não existe limitação de idade para quem quer atuar neste setor. Podem atuar desde jovens profissionais a profissionais mais maduros, pois é uma indústria muito grande e está aberta a todo tipo de profissional.
 
quero trabalhar com games
Quero trabalhar no mercado de games sp! Tem uma vaguinha para mim?

O que fazer para trabalhar com games

Segundo Raphael Dias,  Doutor em Física pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e um profundo pesquisador sobre jogos eletrônicos, mais importante do que ter um bom currículo recomenda-se ter um bom "portfólio de trabalhos" onde você mostre trabalhos que já fez ou dos quais participou.
 
Nele devem ficar claros a qualidade e abrangência de suas habilidades. Em vez de se preocupar com o que ou onde você estudou é o quanto você sabe e o quanto você domina daquilo que fará.
 

Onde estudar Games

 
A carreira de games não é nenhuma brincadeira e necessita de bastante estudo e preparo. Para ajudar a trilhar este caminho existem escolas que ajudam no processo. Uma delas é a News Oficina de Profissões que oferece o curso de "Desenvolvedor de Games 3D".
 
Segundo Patricia Gamba, coordenadora da escola, o objetivo é mostrar ao jovem (e também aos seus pais) que é possível, sim, sobreviver fazendo vídeo game. Ou seja, esta é uma forma de fornecermos uma alternativa igualmente (ou mais) lucrativa às carreiras tradicionais, como medicina, engenharia ou direito.  Somos uma das poucas escolas a tratar o tema como uma carreira que pode ser altamente lucrativa.
 

Oportunidade para aprender as novas profissões

 
Com sua sede funcionando há 12 anos no bairro da Lapa, em São Paulo, ela procura - apesar de seus muitos anos de história e milhares de alunos formados - atualizar-se, oferecendo formação para profissões que até ontem não existiam, como designer de games, robótica e até mesmo Youtuber.
 
Nós nos especializamos em atender os públicos das classes B, C e D, trabalhando com valores mais acessíveis que outras escolas especializadas, onde o valor da mensalidade muitas vezes se aproxima ao de um curso superior.  O objetivo é possibilitar que jovens (ou não tão jovens assim...) que antes não tinham nenhuma alternativa possam investir nesta carreira promissora.
 
mercado de games sp - videogame
Deixe todo o seu material de estudo preparado para a aula... #SQN :p

E quem não tem dinheiro algum, como faz?

É possível, amigo, mas prepare-se para se empenhar três vezes mais!
 
O que você pode fazer é procurar os famosos tutoriais na internet e ir colocando a mão na massa por conta própria. O processo é mais demorado, mas possível. E, por outro lado, você não tem muita escolha, não é mesmo?
 
Os motores gráficos mais usados na indústria atualmente possuem versões gratuitas para fins educacionais, como é o caso do "Unity". Outros funcionam na modalidade de royalties, ou seja, você só paga por eles quando criar um jogo que gere algum lucro, como é o caso do "Unreal Engine 4" e do "Cry Engine".
 

Conecte-se a profissionais mais experientes

 
Outro local onde você pode conseguir informação útil é nos fóruns de desenvolvedores. Lá sempre existe alguém apto e interessado em te ajudar. Você pode também ver as palestras do Game Developers Conference 2017. A maior parte delas estão disponíveis no site do evento, entretanto você precisa conhecer um pouco de inglês para conseguir acompanhá-las.
 
Outra sugestão é buscar contatos na comunidade de profissionais e em empresas do ramo. Os profissionais da área sempre estão dispostos a ajudar aqueles que estão começando porque já passaram pelas mesmas dificuldades e sabem como a caminhada é difícil no início. Não vá em busca de um trabalho, peça conselhos! Eles serão muito úteis em sua trajetória profissional.
 
Está sem dinheiro? Veja isto.
Tá na maior dureza? Sempre tem uma alternativa! (Designed by luis_molinero/Freepik)

Conclusão

Lembra-se quando eu comentei, lá no início, sobre a resistência dos meus pais em me deixar jogar?

Com certeza se eu tivesse em minhas mãos um artigo como este sobrariam argumentos para convencê-los de que o que eu estava fazendo poderia dar um grande futuro ao seu filho (no caso, eu!).

Então aproveite para, antes de conversar com eles a respeito, estudar muito bem os números, perspectivas e oportunidades que te passei. Só NÃO DEMORE! O único momento que temos para agir é o agora, nem eu nem você podemos saber quanto tempo esta onda irá durar...

...e não existe nada pior do que olhar para trás e ver nossos amigos aproveitando oportunidades, crescendo profissionalmente, trabalhando com o que lhes dá prazer e nós tendo que nos contentar com o feijão com arroz de todos os dias.

 

Corra pois as oportunidades passam!
Quem tem um objetivo procura motivos para fazer, quem não tem procura desculpas para não fazer.

Grande abraço e sucesso!

 

Luiz Henrique Mello   é empresário do setor de educação. Tem 20 anos de experiência em Recrutamento, Seleção e Treinamento de profissionais em diferentes áreas e níveis profissionais.

fazer um curso profissionalizante

Curso Profissionalizante – Qual é o Melhor Para Mim?

Curso profissionalizante: Quais as Suas Vantagens?

 

Quando Compensa fazer Um Curso Profissionalizante e Que Opções Existem?

 

Eu já disse, em outros artigos, que na busca pelo primeiro emprego ou quando você não tem muita experiência profissional para mostrar uma boa alternativa é investir em qualificação profissional através de um curso profissionalizante.

 

Mas aí vem aquela famosa pergunta: Que curso eu devo fazer? Em que área de atuação?

 

Pois este artigo tem o objetivo de tirar este peso de suas costas, vou te mostrar os tipos de curso profissionalizante existentes no mercado, quais as características de cada um, para que você possa fazer uma escolha consciente e ser bem sucedido.

 

Existem três modalidades de curso profissionalizante para quem está em início de carreira: os cursos livres, técnicos e os tecnólogos.

 

Cada um atende a uma necessidade diferente. Todos duram menos que uma graduação e nem sempre é obrigatório ter concluído o ensino médio para cursá-los.

 

 

  • Curso Profissionalizante Livre

 

É nos cursos livres onde você consegue chegar mais rápido ao seu objetivo. Normalmente são de menor duração e carga horária.

 

Bem objetivos, eles direcionam seu foco exclusivamente para a função onde você irá atuar, sem maiores distrações.

 

Para quem se preocupa com reconhecimento, os cursos livres são considerados pela Lei de Diretrizes e Bases exatamamente como Curso
Profissionalizante Básico.

 

Portanto seu certificado é respaldado pela mesma Lei, porém não tem valor acadêmico. Para realizar este tipo de curso não é obrigatório ter o ensino médio completo, você aprende a profissão do início ao fim.

 

Cursos livres imprescindíveis para quem está em início de carreira: Informática (aplicativos de escritório - Office - mexer no Facebook ou Instagram não conta...rs); Auxiliar Administrativo; Inglês;
Photoshop (para quem gosta de design) entre outros.

 

Para quem são indicados: jovens profissionais que estão começando a carreira devem investir nos cursos livres voltados a qualificar o aluno. Quem já está trabalhando e quer trocar de área deve adotar os que profissionalizam, já que estes possibilitam atualizar-se no mercado.

 

 

  • Curso Profissionalizante Técnico

 

O curso técnico funciona de forma diferente do curso livre. Para fazê-lo é necessária ter concluído o Ensino Médio. Ao terminá-lo é preciso apresentar o certificado de conclusão do colegial para receber o  diploma do técnico.
O tempo de duração deles costuma ser de dois anos e são bem populares entre os que querem ingressar mais rapidamente em um emprego.

 

Para quem é indicado: o curso técnico é indicado para aqueles que procuram
uma formação mais direcionada à prática da profissão.

 

Inclusive há cargos e carreiras técnicas onde você pode ser melhor remunerado que muitos cursos superiores. Há cursos para diversas áreas de atuação e setores.

 

Navegue pelo portal do Ministério da Educação para encontrar cursos cadastrados. Pesquise, também, informações e oportunidades no ramo escolhido.

 

 

  • Curso Profissionalizante Tecnológico

 

São cursos de graduação de tecnologia. Eles só podem ser realizados por aqueles que já terminaram o ensino médio, pois são cursos superiores.
O que eles possuem de diferente para os cursos superiores tradicionais? 

 

Têm menor duração, menor carga horária. Podem ser feitos em dois anos e as matérias são programadas com base nas necessidades apresentadas pelo próprio mercado.

 

Para quem são indicados: para alunos que concluíram o ensino médio e querem acelerar a conclusão da faculdade e obtenção do diploma, sem deixar de se especializar numa determinada área ou tema.

 

 

4 vantagens ao fazer um curso profissionalizante

 

1) São mais baratos que um curso superior.

Ter uma graduação é ótimo, mas cursar uma boa faculdade não é barato!

 

Então se você ainda não tem verba suficiente para investir num diploma de curso superior pode começar fazendo um curso profissionalizante.

 

Você aprende uma função ou profissão, consegue um emprego na área, e depois se especializa através da faculdade.

 

2) São muito mais curtos e objetivos.

Ele atende quem não pode se dar ao luxo de esperar 4 ou 5 anos para entrar no mercado de trabalho e começar a trabalhar.

 

Você encontra bons cursos com duração a partir de um ano até dois anos. Além de tudo sua carga horária semanal também é menor, no caso
de você ter de conciliá-lo com um emprego.

 

3) São focados na prática profissional.

Diferente de um curso superior, onde existem, na grade, quilos de matérias teóricas obrigatórias, o curso profissionalizante atem-se às atividades básicas do dia-a-dia.

 

Ou seja, você aprende a prática essencial para atuar na área escolhida. O mercado profissional prefere profissionais aptos a encarregarem-se de imediato das funções e tarefas para as quais são contratados.

 

Eles já devem entrar na empresa sabendo o que fazer. Por estarem focados na execução de suas tarefas e funções, estes cursos faz com que seus alunos sejam muito interessantes para as empresas.

 

4) Você pode mudar de direção rapidamente se não se identificar com a área.

Veja bem, sempre existe a possibilidade de você começar a fazer um curso qualquer e descobrir que aquilo não é para você...

 

Imagine só descobrir isto depois de fazer 3 ou 4 anos de muita teoria, muito tempo e dinheiro investido numa faculdade? Baita frustação, não é mesmo?

 

Entretanto você pode começar (e terminar...) vários cursos em áreas diferentes até descobrir "aquela" que toca seu coração e preenche sua alma (poético, não?).

Ou seja, se não for bem aquilo é fácil mudar o rumo, mas com um certificado na mão, não é mesmo?

 

Mas....e a faculdade? Devo fazer ou não?

 

Bom , depois de ouvir tantas vantagens em realizar um curso profissionalizante deve estar se perguntando: e a faculdade, faço ou não?

 

Pois isto depende muito dos seus objetivos profissionais. O curso profissionalizante te dá conhecimento suficiente para conseguir o primeiro emprego na área que escolheu, ele te dá a chance de entrar no mercado.

 

Por outro lado, fazer uma faculdade abre novas portas profissionais pois há cargos, profissões e empresas que buscam o ensino superior tradicional.

 

Você pode começar fazendo um tecnólogo, especializando-se em uma área específica da profissão, e depois cursar a graduação.

 

Desta forma poderá aproveitar melhor sua posterior formação superior e, de quebra, adquirir vivência profissional. E esta é uma forma eficiente de se destacar na carreira.

 

Conclusão

 

Não importa por que caminho você siga, o importante é sempre manter-se atualizado com relação à sua área de atuação. Desta forma nunca faltarão oportunidades.

 

Atualização não é uma forma de se diferenciar. Atualizar-se é manter-se empregável! O mercado e a sociedade estão sempre evoluindo, se você parar no tempo acaba sendo engolido.

 

O pior erro é alguém começar a estudar, entrar no mercado de trabalho, e parar de estudar, de aprender. Vai chegar um momento em que alguém com menos idade, mais conhecimento (ou conhecimento mais atual) irá tomar seu lugar.

 

E aí fica mais difícil, pois você terá de correr atrás do tempo perdido e não vai ser para evoluir. Será uma questão de simples sobrevivência.

 

Luiz Henrique Mello   é empresário do setor de educação. Tem 20 anos de experiência em Recrutamento, Seleção e Treinamento de profissionais em diferentes áreas e níveis profissionais.
Como Conseguir o Primeiro Emprego

Primeiro Emprego | Guia Prático Para Conseguir o Seu

Como conseguir o primeiro emprego?

 

A busca para conseguir o primeiro emprego

 

A situação é bastante comum e sei que você já passou por isto na busca pelo primeiro emprego. Ao fim do processo seletivo o entrevistador vira para você e solta:

 

"Seu perfil é muito bom! Porém, infelizmente, estamos buscando um profissional com mais experiência para o cargo."

 

Então ao sair de lá, contrariado, você se pergunta: "Como vou adquirir experiência se ninguém me contrata para o primeiro emprego?" Ser jovem tem suas vantagens (muita energia para aprender, força de vontade de sobra...) mas, com certeza, esta não é uma delas...

 

Pensando neste grande desafio que você enfrenta (acredite, eu também já passei por isto...) resolvi criar um guia passo-a-passo para ajudá-lo a conseguir o seu primeiro emprego.

 

Infelizmente a escola não nos prepara para o mercado de trabalho, este momento tão difícil... a passagem da juventude para a fase adulta.

 

Como compensar a falta de experiência?

 

Eu sei, se levar em conta apenas sua experiência é difícil completar sequer uma página de informação no currículo. Mas para compensar este currículo "magrinho" existem meios que interessam aos empregadores.

 

Estou falando de investir em sua formação com cursos livres como de idiomas, informática ou profissionalizantes específicos para o ramo em que deseja trabalhar.

 

Este acaba se tornando um diferencial importante em um processo seletivo. O primeiro passo é ter qualificação! Porque imagine uma coisa: além de você, milhares de outros jovens também estão à procura do primeiro emprego.

 

Quando uma empresa posta uma vaga de emprego recebe muitos currículos. Mas muitos mesmo! É impossível entrevistar tantas pessoas. Então ela começa a filtrar os candidatos pelas qualificações que possuem.

 

Se você quer, pelo menos, ser chamado para o processo seletivo ou para a entrevista de emprego precisa se destacar no meio deste monte de jovens "disponíveis", muitos deles na mesma situação que você (em busca do primeiro emprego).

 

O valor dos cursos já não é mais um impedimento para aprender. O Governo Federal oferece gratuitamente cursos profissionalizantes para quem está cursando o ensino médio ou já concluiu essa etapa dos estudos.

 

Mas e como fazer?

 

O PRONATEC, por exemplo, atua em parceria com diversas escolas do setor privado espalhadas por todo o país. É bem verdade que as vagas estão cada vez mais difíceis de encontrar mas quem procura acha, não é mesmo?

 

A questão é que você precisa apresentar alguma vantagem à empresa contratante no caso de ela te contratar... Você já não tem experiência (é o seu primeiro emprego...), se nunca fez um curso de informática, idiomas nem conhece nenhuma profissão (somente concluiu o ensino médio) que vantagem a empresa terá ao te contratar?

 

Portanto esta pode ser uma boa oportunidade de conseguir seu primeiro emprego de forma mais rápida. Não esqueça que, mesmo que tenha de investir algo, dificilmente o valor será maior do que o seu primeiro salário. Ou seja, o benefício ultrapassa de longe o esforço.

 

É possível se qualificar em vários ramos do mercado, desde as áreas exatas, com cursos de informática, robótica, desenhista cadista, design gráfico, web design, finanças e instalação e manutenção de redes de computadores; de saúde como farmácia, veterinária e outras; até as áreas de vendas, gestão, logística, hotelaria, entre outras.

 

Lembre-se, apenas, de investir seu farto tempo disponível e seu dinheirinho contado em uma área que esteja em alta, como as áreas administrativas, que sempre estão contratando muito.

 

 

 

Hora da entrevista

 

Depois disto separe um tempo para se preparar para a entrevista. Agora você já tem um currículo mais completo em mãos e pode chegar mais confiante para encarar seu futuro chefe. Só que isto não quer dizer que você pode chegar despreparado.

 

A entrevista é um momento muito tenso e o nervosismo pode dificultar sua capacidade de explicar suas expectativas, seus pontos fracos e fortes além de que você pode deixar de citar dados importantes.

 

 

Tenham em mente que provavelmente alguém pedirá em algum momentos para que você fale de si mesmo. Portanto fica muito mais fácil lidar com esta situação e não passar vergonha se, antes, fizer um balanço das qualidades que possui e das características onde ainda precisa melhorar.

 

Pense no seu perfil, em como é sua personalidade. Pense também nas experiências pelas quais já passou e no que dizem e pensam sobre você seus amigos e familiares. Não é porque seja seu primeiro emprego ou que nunca tenha trabalhado antes que não possua qualidades ou diferenciais.

 

 

 

Como deve ser o seu currículo

 

Seu currículo deve ser simples e direto. Os recrutadores, geralmente, recebem um monte de currículos para uma ou duas vagas e costumam não perder tempo tentando decifrar textos mal feitos.

 

Usar fontes "diferentonas", fazer capinha com letras multicoloridas são atitudes que dificultam a boa visualização dos dados e ainda passam uma impressão de amadorismo.

 

Há muitos modelos de currículo na internet, no programa editor de textos do seu computador e até em papelarias encontra-se modelos prontos para comprar.

 

 

Além do nome, escolaridade e de cursos de qualificação que terminou ou estão em andamento é possível colocar trabalhos temporários, sem registro ou voluntários para compensar a falta de experiência profissional anterior.

 

Essas atividades são bem valorizadas pelos contratantes. Inclua, também, habilidades e competências pessoais tais quais facilidade em lidar com pessoas, trabalhar em grupo, receber ou dar instruções, ter motivação, ter inteligência emocional (saber controlar as emoções), ambições de crescimento profissional, habilidades em liderar ou persuadir poderão também, auxiliar.

 

 

Utilize boas ferramentas

 

Além de procurar criar uma ótima "rede" de relacionamentos, ou seja, ter um bom "networking" com amigos, colegas e familiares que poderão te ajudar na busca e conquista do seu primeiro emprego, é importante usar os meios, as ferramentas disponíveis para ajudar que o jovem consiga inserir-se nos postos de trabalho.

 

 

Programa Jovem Aprendiz

 

Se você cursa ou já terminou o ensino médio está apto a participar do Aprendiz Legal, um programa criado pelo Governo Federal que tem por objetivo a preparação e inserção do jovem aos postos de trabalho.

 

O programa faz parceiras com empresas privadas e órgãos estatais disponibilizando muitas e muitas vagas em vários locais voltadas somente para jovens.

 

Este programa (Aprendiz Legal) promove a integração da sociedade para que os jovens sejam atendidos em suas necessidades.

 

São dois módulos onde objetiva-se o desenvolvimento deles. Primeiro há um módulo básico, que existe em todas as áreas de formação.  Depois existe um módulo específico, que é direcionado ao setor específico onde o jovem atuará dentro da firma.

 

São disponibilizados treinamentos de qualificação e especialização para trabalhar como:

  • Auxiliar no setor de alimentação: Preparos/Serviços
  • Auxiliar fabril (produção industrial)
  • Comércio e varejo
  • Conservação, limpeza e sustentabilidade ambiental
  • Cooperativismo
  • Gestão no setor público
  • Logística e transporte
  • Atividades administrativas
  • Atividades bancárias
  • Hotelaria e turismo.

 

 

CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola)

 

Este projeto surgiu antes mesmo do decreto governamental que criou o programa Aprendiz Legal e hoje é uma ferramenta a mais para que o jovem tenha acesso ao mercado de trabalho.

 

Esse sistema prevê também a inclusão de profissionais portadores de necessidades especiais, apresentando conteúdo impresso dos seus treinamentos em audiolivros e vídeos com a linguagem de LIBRAS.

 

A lei obriga firmas de porte médio e grande a contratarem jovens entre 14 e 24 anos para qualificação profissional (na teoria e na prática), cumprindo cotas que vão de 5% a 15% do total de profissionais já devidamente qualificados.

 

Em microempresas e empresas de pequeno porte a prática é facultativa, elas podem ou não contratar jovens enquadrados neste critérios.

 

 

Trainee

 

Os programas de trainee são meios disponíveis apenas para jovens recém-formados no ensino superior. É uma chance de entrar em empresas de grande porte nas quais, frequentemente, acabam sendo efetivados. Nessa posição os jovens são preparados e qualificados para trabalhar em cargos de chefia.

 

Os programas de trainee são muito concorridos e seu processo seletivo tem várias etapas. Isso porque os desafios permitem um crescimento rápido na carreira. Cada etapa demanda do recém-graduado um pacote conhecimentos, formação e capacidades.

 

Geralmente é necessário:

  • Ser recém-formado ou haver terminado a faculdade há, no máximo, dois ou três anos;
  • Ter fluência no idioma inglês;
  • Ter domínio de programas de computador específicos do setor de graduação;
  • Estar disponível para viagens ou para viver no exterior.

 

 

Estágio

 

O estágio faz parte do programa de formação dos cursos superiores e também dos técnicos. Ele é um degrau muito importante pois prepara o estudante para o que ele irá encontrar no ambiente empresarial.

 

Trata-se de um período em que, enquanto conclui sua formação, o aluno trabalha em uma empresa com carga de tempo reduzida, sempre deixando livres o período em que está em aula.

 

O estagiário tem todos os benefícios da legislação Trabalhista e Previdenciária assegurados. E deve exercer funções relativas e condizentes ao projeto pedagógico da sua formação, com período de trabalho determinado no documento que assegura todos estes direitos, o "termo de compromisso".

 

Ele precisa sempre ser apresentado à escola para confirmar a efetivação das horas previstas no termo de estágio que poderão ser de 20, 30 ou no máximo 40 horas por semana.

 

 

Luiz Henrique Mello   é empresário do setor de educação. Tem 20 anos de experiência em Recrutamento, Seleção e Treinamento de profissionais em diferentes áreas e níveis profissionais.
Auxiliar Administrativo: Tudo Sobre Esta Área de Trabalho

Auxiliar Administrativo – Profissão e Carreira

Auxiliar Administrativo | Saiba Tudo Sobre Esta Função

 

Já pensou em trabalhar como auxiliar administrativo? O artigo de hoje traz um tema muito especial. Uma vez que você despertou interesse na Área Administrativa, acreditamos que esta é a sua carreira. Ou você ainda está escolhendo a sua profissão e está pensando em ser um administrador, correto? Talvez esteja descobrindo sua vocação ou esteja avaliando que área te dará mais perspectiva profissional.

Pensando nisso, hoje irei abordar precisamente o papel de um administrador dentro de uma empresa. Quais suas principais funções, qualificações que deve ter, e outros itens. Então Mãos à Obra!

 

O que faz um auxiliar administrativo?

 

O cargo de auxiliar administrativo é a porta de entrada para qualquer pessoa que quer trabalhar no administrativo das empresas. Esta é uma posição bastante abrangente e pode ter diferentes nomes ou designações em diferentes firmas. Além de várias áreas de atuação dentro de uma mesma empresa.

Isto não ocorre porque o recrutadores são "vampiros aproveitadores" que querem sugar sua alma. Acontece porque esta posição tem como principal atribuição auxiliar ( o próprio nome já diz ) qualquer tipo de demanda no setor. Então, se o setor, ramo ou indústria que te contrata é diferente, assim também será o seu trabalho.

Por conta disto, é bom ter em mente que o auxiliar administrativo é o "pau-pra-toda-obra" no mundo corporativo. Você pode ser responsável por realizar verificações de materiais, entrega de documentos, atender chamadas telefônicas, manter contatos atualizados, realizar o controle de pagamentos, recebimentos e outros processos, para atender o público, de documentos de arquivo e de fazer trabalhos de informática em geral (trabalhar com planilhas, e-mails e etc.).

DICA: Mantenha um olhar sobre as tarefas de cada posto de trabalho. Tente encontrar as funções onde você será capaz de fazer um trabalho diferenciado, e que pode aprender e ser reconhecido. Afinal não é impossível mas terá mais dificuldade em ser reconhecido por ser o melhor destruidor de arquivos.

 

Qual a importância do trabalho do Auxiliar Administrativo?

 

Pode parecer que o trabalho do auxiliar não é muito importante, pela suposta simplicidade de suas atividades. Mas a verdade é que ele é essencial para o funcionamento da empresa, pois desafoga o trabalho de outras pessoas que precisam estar focadas em suas próprias funções, liberando-as para lidar com assuntos gerenciais.

Além disso, esta é uma ótima maneira para você aprender como o funciona o mundo administrativo. Ele tem suas próprias regras, o tipo de roupa, o tema e desenvolvimento das conversas, fluxos, etc. Ou simplesmente entender como se comportar em um emprego ( se é seu primeiro trabalho ).

Você já decidiu se vai seguir com esta função? Então, vamos conhecer mais sobre essa profissão!

 

Competências essenciais (acostume-se a estes termos):

 

Abaixo listamos algumas das funções básicas que qualquer assistente administrativo deve saber para ser capaz de realizar seu trabalho eficientemente:

  • Saber mexer no computador e no pacote "Office" ( é a plataforma mais usada, então não há como escapar ) é fundamental.
  • Ensino médio (57% dos profissionais já graduados).
  • Aprenda a comunicar-se bem (isso vale para qualquer posição, independente da área onde for trabalhar).
  • Saber falar / escrever bem em português ( elimine a possibilidade de escrever "nóis", "agente estávamos", no e-mail pro RH, se liga!)

 

Como se diferenciar

 

Como o mercado está cada vez mais competitivo, ter apenas a qualificações básicas listadas acima, às vezes, pode não ser o suficiente para conquistar um bom emprego. Então aqui estão algumas dicas de como se destacar:

  • Seja "realmente bom" no EXCEL: Esse é um grande diferencial. Há sempre alguém que não consegue arrumar ou criar um cálculo ou uma fórmula e, se você se mostra um especialista no assunto, certamente a empresa não vai querer te perder. E para isso não precisa de muito! Conhecer as funções básicas, como Somar, SE e Procv você já te destaca.
  • Saiba se comunicar em inglês: conhecer a linguagem dos Americanos também é super importante. Nas pequenas empresas, você pode virar o "cara que sabe o que significa aquela coisa", enquanto em multinacionais, você será capaz de realizar suas funções sem problema. É muito comum nestas empresas que determinados setores sejam no exterior e quando você precisar lidar com eles se depare com alguém que não fala português. A grande questão aqui é ir além do esperado!
  • Fazer além do que lhe é pedido, ultrapassá-lo: E isto não se aplica apenas a este ou aquele escritório ou ao mundo corporativo. Vá além em qualquer papel na sua vida e as coisas vão funcionar. Lembre-se do seguinte: Ninguém te dará maiores responsabilidades (nem um aumento de salário) até acreditar que você é capaz de lidar com elas. E isto só acontecerá quando você assumir além das suas responsabilidades de costume.

 

De Onde Vir e Para Onde Crescer?

 

Os caminhos ( funções ) que levam ao auxiliar administrativo costumam ser os de atendente, balconista, auxiliar de produção e o próprio auxiliar de escritório. A partir daí o próximo passo é se tornar um assistente administrativo. Apesar da pouca diferença entre a nomenclatura, o assistente tem um salário médio mais alto ( R$1.455,40 de acordo com a Catho ) e tem atribuições mais específicas e técnicas. Portanto, você terá mais responsabilidades.

 

Mas o que eu preciso fazer para me tornar um assistente administrativo?

 

Além de um tempo mínimo de experiência ( o que você já conseguiu trabalhando como auxiliar administrativo ) , 73% dos colaboradores nesta posição têm o diploma em qualquer universidade ( e 31% são formados em administração de empresas ). Além disso, 17% dos assistentes já têm inglês intermediário, um número que é maior do que o auxiliar, mas ainda muito baixo ( fica a dica de como você pode se diferenciar). Por conta das atividades, que são mais específicas, pode ser necessário saber trabalhar em outras ferramentas de gestão, tais como SAP, SQL, entre outros sistemas. Portanto, dominar o Office, neste caso, é de grande valor (quase um pré-requisito).

 

Mercado de trabalho

 

Só no ano passado foram abertas mais de 15 mil vagas na Catho (uma das nossas fontes de pesquisa), porque, como assistente administrativo tem um vasto campo de atuação, sempre há uma vaga em aberto em algum lugar. Qualquer empresa que está crescendo tem a necessidade de aliviar os seus quadros gerenciais do trabalho simples - mas essencial - e, portanto, o cargo de auxiliar é sempre uma boa chance.

 

Vale a pena fazer um curso de um auxiliar administrativo?

 

Se você não tiver condições de cursar uma faculdade ou não tem nenhuma experiência na área administrativa, fazer um curso profissionalizante é quase essencial. Como esta é uma posição de entrada - o que geralmente exige apenas o ensino médio - apesar do grande número de ofertas de vagas a concorrência também é muito grande, por isso apresse-se em se destacar. E sempre dê preferência para instituições com certificados reconhecidos e qualidade na educação.

 

Quanto Ganha Um Auxiliar Administrativo | Números e Estatísticas

 

Abaixo, seguem algumas estatísticas sobre a área de auxiliar administrativo que pode ajudar a escolher esta profissão:

Salário Mínimo: R$887,20
Salário Médio:
R$ 1.215,67

% de Graduados: 57%
Graduados em Administração de empresas: 22%
Têm inglês intermediário: 12%
Vagas publicadas no Site Catho durante o último ano: 15.160

Espero que eu ajudei a você decidir se a administração é o trabalho certo para a sua carreira!

Se você gostou não deixe de compartilhar com seus amigos.

Até a próxima.

Luiz Henrique Mello   é empresário do setor de educação. Tem 20 anos de experiência em Recrutamento, Seleção e Treinamento de profissionais em diferentes áreas e níveis profissionais.