Skip to main content
Saiba Responder Quais Seus Pontos Fortes Numa Entrevista

Seus Pontos Fortes: Você Sabe? 5 Dicas Infalíveis Para Responder Corretamente

Aqui estão algumas dicas sobre como transmitir corretamente seus pontos fortes numa entrevista de emprego!

 

Poucos momentos são tão assustadores como uma entrevista de emprego. Não importa se você já passou por muitas ou se é sua primeira.  Primeiro, porque o entrevistador é o meio para que a pessoa seja contratada. E isto pode ser decisivo na jornada de uma nova fase da vida.  Então você precisa passar a impressão correta para deixar claro quais são seus pontos fortes e que é a pessoa ideal para esta posição.

 

Ao Ser Questionado Sobre Suas Qualidades, Não Precisa Fazer Uma Relação Imensa De Tudo Aquilo Que Você é.
Uma pergunta muito comum na entrevista de emprego é: Quais os seus pontos fortes no trabalho?

 

Quando perguntado sobre as qualidades, você não precisa dar uma palestra sobre como é perfeito ou como faz tudo bem.

 

Na ânsia de convencer o entrevistador de que é o melhor para a vaga, muitos trocam os pés pelas mãos. Usam palavras que não devem, fazem piadas fora de hora, sem graça, forçam uma intimidade com o entrevistador... Em suma, um desastre!

 

Isso sem contar que, além de lidar com a ansiedade, você ainda terá de lidar com uma pergunta capciosa como esta:

"Quais são seus pontos fortes?"

 

Aqui, novamente, é fácil botar tudo a perder. Você pode querer passar a ideia de que é o "Super Homem" ou a "Mulher Maravilha".

 

Bem, não caia nessa armadilha. Vou te dar, a seguir, algumas dicas que irão ajudar você a identificar quais são seus pontos fortes - os verdadeiros. Assim ficará fácil se destacar do grupo e mandar muito bem na entrevista. Confira!

(Quer saber sobre criação de empregos? Eu falo um pouco sobre isto neste artigo)

1. Mostre que você tem auto-conhecimento

Quando perguntado sobre as qualidades, você não precisa criar um personagem, um tipo de "herói grego", para mostrar como é bom e perfeito.

 

Sim, nós sabemos que o você precisa impressionar o entrevistador. Só que, nesses casos, acredite em mim, menos é mais. O ideal é falar apenas de alguns dos pontos fortes que estão diretamente ligados à função ou aos valores da empresa onde você quer trabalhar (eu já te disse como é importante fazer uma pesquisa sobre a empresa antes da entrevista?).

 

O ideal é que escolha de um a três atributos somente. Eles devem ser bem selecionados, ou seja, devem reforçar a sua imagem profissional e adicionar pontos à corrida pela vaga oferecida.

 

Se a vaga pede do candidato uma melhor interação com os clientes, por exemplo. Ter facilidade de comunicação e relacionamento são as qualidades que devem ser mencionadas.

 

Outra coisa, fale somente a verdade. E fique atento pois, dependendo do contexto (em um instante) tudo pode mudar. Incluindo no que se refere à situação inversa (seus defeitos).

 

2. Ilustre suas experiências com histórias reais

Uma das regras mais importantes para uma entrevista bem sucedida é ilustrar os fatos. Se no discurso você é um bom gestor, por outro lado, isto não significa nada se você não tem uma boa história para contar sobre situações que ocorreram no seu dia-a-dia profissional.

 

O objetivo é contar uma história que mostre bem a sua experiência e habilidades para resolver problemas - todos passaram por algo semelhante no início do trabalho. Você não precisa criar um roteiro de cinema. Às vezes um fato comum, ou uma solução simples, já mostram o que você é capaz de fazer.

 

Antes da entrevista, tente se lembrar de histórias que podem ser relevantes e adicionar mais pontos para o seu currículo.

 

3. Aproveitar as brechas deixadas pelo entrevistador

Nada como um bom senso de oportunidades para ganhar muitos pontos na disputa para a vaga tão desejada. Durante a entrevista, é normal o entrevistador deixar alguns momentos para você para falar de si, especialmente os seus pontos fortes.

 

É neste momento que você dá o pulo do gato. Como fazer isso? Coloque tudo o que falamos acima (suas qualidades reais e um par de boas histórias) e adicione um elemento matador, o que vai convencer o entrevistador de que é a pessoa adequada para aquele cargo.

 

Para isso precisamos estar atentos, precisamos de uma resposta inteligente e precisa. E isto só será possível se houver um estudo prévio, na hora de se preparar para a entrevista.

 

Anote o passo a passo:

-Antes da entrevista, saiba tudo sobre a empresa. Para se familiarizar com a cultura, valores, segmento de mercado e planos do provável novo local de trabalho, isto  é essencial. Além de impressionar o entrevistador você vai aprender muito mais facilmente como adequar seu perfil a este universo.

 

-Procure entender tudo o que a posição exige, e identifique, entre seus pontos fortes, aqueles que contribuem para a vaga. Use-os com cuidado.

 

-Lembre de algumas histórias que podem ser usadas para ilustrar os seus pontos fortes e têm a ver com o perfil do cargo. Pense em como seus pontos fortes foram importantes em cada uma destas situações.

 

-O golpe final, aquele em que você vai convencer de vez o entrevistador, uma descrição do seu perfil profissional a partir da soma dos três itens acima. Acredite, suas chances aumentarão consideravelmente!

 

4. Seja honesto, sempre!

A sinceridade é imprescindível. Do qual você nunca deve abrir mão.

 

Se há algo que faz com que um candidato perca a chance de ser contratado é a tentativa de manipular a entrevista.

 

Portanto, se o entrevistador perguntar quais são seus pontos fracos, responda honestamente. Entrevistadores têm faro aguçado para identificar respostas dissimuladas. Falar que é um perfeccionista ou que é muito dedicado, por exemplo, pega super mal. Este esforço para impressionar é tão manjado que ninguém mais cai nessa conversa e só vai te prejudicar.

 

Portanto, antes da entrevista, faça um levantamento de algumas de suas fraquezas. Assim como os pontos fortes, você não precisa fazer uma lista grande. Mas é necessário que ela seja verdadeira e que você mostre também como tem trabalhado para melhorá-los.

 

Outro hábito comum: exagerar ou mentir sobre a posição que ocupou ou as responsabilidades inerentes à função que desempenhava. Tudo isso é muito fácil de descobrir e, dependendo da empresa contratante, é comum que o departamento de Recursos Humanos faça este tipo de verificação. Se é encontrada qualquer mentira, o candidato é desclassificado na hora.

 

5. Alguns dos pontos fortes falam por você

Às vezes nem é necessário falar quais são os pontos fortes, eles ficam aparentes na entrevista.

 

A pontualidade, por exemplo, é uma característica marcante. Um candidato que, de cara, chega atrasado numa entrevista ou processo seletivo, passa uma péssima primeira impressão. Afinal de contas, pontualidade não deve ser um diferencial, mas sim um pré-requisito. 

 

Saiba quando falar e quando ficar quieto. Aprender a ouvir o que o entrevistador tem a dizer e falar na hora certa também são qualidades bastante observadas. Não há nada pior que um candidato que fica disputando a palavra com o entrevistador, só esperando a hora de interrompê-lo.

 

Procure não demonstrar ansiedade. Isto é importante para convencer o entrevistador de que você é a pessoa certa para o trabalho pois tem maturidade e profissionalismo.

 

Vista-se de acordo com o perfil da empresa, isto é fundamental. Empresas formais procuram por roupas formais. Nas empresas mais informais é sempre recomendável a adoção de uma vestimenta mais "arrumadinha", por mais que os colaboradores estejam de bermuda, chinelo e camiseta. Lembre-se: eles já estão empregados, você ainda não...

 

Isto é regra. Nunca fale mal do seu antigo emprego, mesmo se o entrevistador tenta levá-lo para isso. Pega muito mal e, às vezes, não passa de um teste. Não caia nesta armadilha. Quando vejo alguém falando mal dos outros fico pensando em como deverá falar de mim...

 

Outra coisa: a prática leva à perfeição. Dentro de suas possibilidades, participe de quantas dinâmicas de grupo e entrevistas puder. Mesmo que a vaga não seja exatamente a que está buscando, esta prática vai ajudá-lo a diminuir a tensão e ansiedade que acompanham estes processos. E treinando você ficará cada vez melhor.

 

Siga esta fórmula! Quanto mais preparado você estiver, menos nervosismo vai ter.

De resto, é arregaçar as mangas e começar a trabalhar!

 


Luiz Henrique Mello
   é empresário do setor de educação. Tem 20 anos de experiência em Recrutamento, Seleção e Treinamento de profissionais em diferentes áreas e níveis profissionais.
Mercado Volta A Criar Empregos

Empregos Devem Voltar a Ser Criados Neste Ano Segundo FGV – Carreira

Mercado Dá Sinais de Recuperação E Empresas Já Programam Criação De Novos Empregos

 

 Empregos: "Vai aumentar o nível de empregos. O mercado de trabalho vai melhorar um pouco, mas a recuperação mais forte será só no próximo ano" (Paulo Fridman/Bloomberg)

 

O mercado de trabalho deverá melhorar a geração de empregos este ano, apesar de que antes de identificarmos estas expectativas ainda dependemos da recuperação da economia, segundo o economista Fernando de Holanda Barbosa Filho, do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

 

O indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) avançou 0,3 ponto em fevereiro ante janeiro, para o nível de 95,9 pontos. Este foi o nível mais alto desde maio de 2010.

 

Quando há tendência de crescimento é consequência haver criação de empregos. Já o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) recuou 1,9 ponto do ano passado, de janeiro a fevereiro foi de 100,7 pontos.

 

Quando o índice cai significa uma melhora na avaliação dos consumidores sobre o mercado de trabalho.

 

"Os agentes planejam contratar nos próximos meses. A pergunta é quando isso vai acontecer. Entende-se que dependa da situação da economia em geral. Se houver sinais de melhora, haverá contratações", disse Barbosa Filho.

 

A Situação Atual

 

A situação atual ainda é extremamente desconfortável. "O ICD ainda está em um nível muito alto", disse ele. Ele apontou ainda que o indicador que acompanha a avaliação dos consumidores sobre a situação de emprego.

 

Os componentes que contribuíram para a alta do IAEmp de fevereiro foram indicadores de desempenho. Eles medem as expectativas da situação dos negócios nos próximos seis meses. Baseiam-se na Sondagem com a Indústria e na velocidade no aumento dos quadros nos próximos três meses da Sondagem de Serviços.

 

O conjunto que mais influenciou a queda do IBC foi o de consumidores que recebem de R$ 4.800,00 a R$ 9600,00. No caso deles houve diminuição em 3,3 pontos do indicador da percepção da dificuldade de conseguir um emprego.

 

Barbosa Filho acredita que a taxa de desemprego deve atingir pico entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano. Em seguida deve começar a cair lentamente com a criação de postos de trabalho.

 

"Vai aumentar o emprego, o mercado de trabalho vai melhorar um pouco. Mas a recuperação só será mais forte no ano que vem", o economista pensa.

 

Como São Construídos Os Índices Que Avaliam Expectativas de Criação De Empregos

 

O ICD é construído com base em dados de Pesquisa de Consumidores. Ela tende a cobrir a impressão dos consumidores quanto à dificuldade do mercado de trabalho em relação a emprego.

 

Já o IAEmp consiste em uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas identificadas pela FGV. O objetivo é antecipar o sentido do mercado de trabalho no País.

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/